Desvendando o segredo dos grandes inventores

março 26, 2007

Os inventores são pessoas que combinam duas habilidades fundamentais. A primeira é a de identificar oportunidades nos problemas ou nas coisas que não funcionam bem e precisam ser melhoradas. Esta habilidade pode também funcionar no sentido inverso: a pessoa tem uma idéia e procura uma oportunidade para usá-la. A segunda habilidade é a de olhar a sua volta e identificar princípios que podem ser extraídos de eventos naturais ou de objetos existentes e aplicá-los à solução de problemas.

Examinemos duas importantes invenções, o Velcro e o descaroçador de algodão, para esclarecer o significado da habilidade de extrair princípios e aplicá-los à solução de problemas.

O Velcro foi criado George de Mestral (1907-1990), inventor suíço. Num dia de verão de 1948, Mestral fez um passeio pelo campo com seu cão. Os dois retornaram para casa cobertos de carrapicho, uma semente de arbustos que se prende no pêlo de animais e na roupa. Curioso, Mestral examinou ao microscópio as sementes presas à sua calça para ver como elas se prendiam tão firmemente ao tecido. Ele viu que pequenos ganchos da semente se entrelaçavam com pequenos laços no tecido.

Desta observação Mestral teve a idéia de desenvolver um prendedor formado de duas partes: uma superfície com pequenos ganchos rígidos, como o carrapicho, e outra com pequenos laços flexíveis, como o tecido de sua calça. Assim nasceu o Velcro, para competir com o zipper. Com o tempo, esta invenção foi aperfeiçoada, suas aplicações diversificadas e, hoje, a Velcro Industries fatura milhões de dólares por ano.

Invenção do velcro

O que Mestral fez foi identificar o princípio em que se baseia o carrapicho para espalhar suas sementes: pequenos ganchos firmemente entrelaçados com pequenos laços. Em seguida procurou reproduzir este princípio, inventando o Velcro.

A invenção da descaroçadora de algodão por Eli Whitney (1765-1825) revolucionou a indústria de algodão. A descaroçadora de Whitney é uma máquina que automatiza a separação da semente e da fibra de algodão, resultando numa extraordinária redução de custo. Até a invenção de Whitney, a separação das sementes era manual, requerendo o uso intensivo de mão de obra. Whitney teve a idéia de sua máquina vendo um gato retirar penas de dentro de uma gaiola com sua pata.

Descaroçador de algodão

Whitney também usou o mesmo método. Na ação do gato, ele identificou um princípio: pequenas garras para prender e retirar um objeto. Usou sua engenhosidade para reproduzir este princípio na retirada de sementes de algodão.

O gráfico abaixo ilustra de forma genérica o modelo usado pelos dois inventores, que aparece em muitas das invenções que conhecemos.Modelo principio inventivo

Da observação do mundo à sua volta, o inventor identifica um princípio que pode ajudá-lo na solução de seu problema. Isola este princípio e tenta desenvolver idéias que resolvam o problema. Testa essas idéias e seleciona as mais promissoras.
Neste modelo, e nos dois exemplos, podemos identificar a presença dos três princípios do Processo Criativo: Atenção, Fuga e Movimento.

Atenção: concentrar-se no problema e observar à sua volta para se inspirar e obter idéias.

Fuga: ir do particular, o evento observado, para o genérico, o princípio em que o evento se baseia.

Movimento: gerar soluções a partir do princípio identificado e testá-las.

Artigos relacionados:

O processo criativo

Criatividade e inovação

Criatividade e intuição

Anatomia das grandes invenções

Se gostou deste artigo,ou para receber novas publicações.

Anúncios

4 Respostas to “Desvendando o segredo dos grandes inventores”


  1. Tudo fala em inovação
    Neste Portugal parado e pobre
    Como não temos melhor sorte
    Para sair da escravidão
    Vão-nos entretendo com palavras
    Que nem eles sabem o que são

    Sendo o fado o nosso mal
    Essa dita canção nacional
    Qual lavagem mental
    De pobres desgraçados
    Acabem com a merda do fado
    Se é esse o mal de Portugal

    Ponham bandas e marchas
    Pifaros gaitas e adufes
    Malhem neles e nos abutres
    Que põem o país na miséria
    Mandem-nos a todos prá Sibéria
    Ou mais longe para outras bandas

    Salteadores da arca perdida
    É o melhor nome por que os trato
    Esses abutres com pelo de rato
    Que se pavonei-am a toda a hora
    Á custa de quem sofre e chora
    Ao ver e sentir sua causa esquecida

  2. Sandra Mônica Winkelmann Says:

    OI JAIRO! BASTANTE INSTIGANTE!! PARABÉNS!!

    ABÇO,

    SANDRA MÔNICA

  3. iraima schroeder moraes Says:

    Estou interessada sobre as invenções dos irmãos Montgolfier e
    de Thomas Edson para trabalho de escola se puderem me ajudar
    eu agradeço.


  4. Iraima,

    A finalidade deste site é promover o interesse e divulgar as técnicas de criatividade. Tudo o que tenho a oferecer a meus leitores pode ser encontrado nos meus diversos artigos. O resto a oferecer são meus serviços remunerados de consultoria e treinamentos.

    Cordiais saudações


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: